À conversa com a Saúde Mental

 

“Eu sei que não se ama sozinho”

 

É inevitável que neste mês de Fevereiro se fale de amor… para onde quer que olhemos vemos imagens de corações, de ideias românticas para surpreender a nossa cara-metade, de incentivo para tempo passado a 2… e no meio de toda esta azáfama, surge a questão: Será que estamos a ser capazes de ter/manter relacionamentos saudáveis?

De acordo com Sternberg, o amor é composto por três qualidades principais que se manifestam em qualquer relacionamento amoroso: a intimidade, a paixão e o compromisso. Os três são parte de um triângulo. A Intimidade refere-se à sensação de proximidade ou à conexão entre duas pessoas, sendo baseada na confiança, na amizade e no carinho. A Paixão é a energia da relação, estando relacionada com sentimentos de atração física e desejo. O Compromisso diz respeito à decisão de continuar no relacionamento apesar dos altos e baixos que possam surgir.

Ao longo de toda a nossa vida, este triângulo vai sofrendo alterações, e mesmo quando um casal está numa relação, cada um terá a sua percepção do seu próprio triângulo… o segredo está em equilibrar os triângulos de cada um e fazer com que as percepções coincidam e sejam o mais próximo possível uma da outra.

Que tipos de triângulos é que caracterizam a sua relação? Coincidem um com o outro? Estão completamente em pontos opostos um do outro?

Por vezes precisamos de parar e refletir, e que altura melhor para o fazer do que este mês de fevereiro?

 

Votos de relacionamentos intimos, apaixonantes e duradouros,

Joana Santos, psicóloga

Posted in Sem categoria.

One Comment

  1. Amei este texto o pior é quando o triângulo de desfaz se esperar e se comtinua amar sem ter o triângulo sem as faces todas de pé isso faz nos diminuir ao ponto de nos isolarmos e de nos sentirmos inúteis obrigada por estás palavras bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *